Dor Pélvica Crônica: o que causa e como tratar

A Dor Pélvica Crônica(DPC) é uma doença caracterizada por dor de moderada a intensa, que atinja a região pélvica feminina, e capaz de alterar seus hábitos de vida. Em algumas pesquisas, é mais comum que a enxaqueca. Por ser de etiologia multifatorial, por vezes necessita de múltiplas consultas para ser adequadamente tratada. 
Dor Pélvica
O que é Dor Pélvica Crônica(DPC)?
É definida como a dor que atinge a região infraumbilical feminina que pode ou não irradiar-se para lombar, continua ou intermitente, com duração superior a seis meses e não relacionada a ciclos menstruais. É considerada importante causa de absenteísmo pela sua prevalência, maior que a da enxaqueca em alguns estudos, e pela sua capacidade de prejudicar as atividades diárias das mulheres acometidas. Está associada a depressão e ansiedade.
Por que é tão difícil abordar a dor pélvica crônica?
Devido à dificuldade de se definir o fator causal da dor. Estima-se que em 40% dos casos haja mais de um fator causal, devendo a paciente ser avaliada por mais de um profissional para que receba tratamento efetivo. Essa busca trabalhosa pelo diagnóstico correto e muitas vezes tratamentos ineficazes, aumenta a ansiedade nestas mulheres.
Dor Pélvica 5
Quais as causas de DPC?
Dor Pélvica 3
Além disso devemos considerar as causas psicológicas da DPC como as pacientes que sofreram abuso emocional e/ou sexual. Os sintomas podem ser somatizados e se manifestar desta forma.
Como o diagnóstico deve ser buscado?
Uma consulta completa com anamnese detalhada e exame físico são fundamentais para definir a melhor estratégia de pesquisa e tratamento. A abordagem da qualidade de vida da paciente e do impacto da dor pélvica nas suas atividades diárias é fundamental.
Em um estudo da Cochrane, o simples fato de a paciente se sentir compreendida em relação aos seus sintomas já auxilia na efetividade do tratamento.
O exame físico deve ser cuidadoso, lembrando da hipersensibilidade a dor que está presente nestas mulheres. Avaliação de abdome, exame ginecológico e toque retal geralmente são necessários.
Quais exames complementares são necessários?
Os exames necessários são direcionados de acordo com as queixas apresentadas pela paciente. A depender da suspeita de qual sistema orgânico foi acometido, os exames
Quais os tratamentos possíveis?
O ideal é definir a causa para realizar o tratamento adequado. Nas causas mais bem definidas como a endometriose, há abordagens próprias. Naquelas em que a causa permanece mal definida, os estudos mostram que uma abordagem multidisciplinar que envolva analgesia, dieta adequada, hábitos saudáveis de vida e acompanhamento psicológico causam melhora importante(Ortiz, 2008).
Dor Pélvica 4
Fontes:
FREITAS, et al. Rotinas em Ginecologia. Artmed. 2009.

Captura de Tela 2016-05-06 às 22.31.01

Liberei uma amostra do meu livro digital: “Tenho Síndrome dos Ovários Policísticos: E Agora?” Acesse o link abaixo e confira!
http://www.dremersonbatista.com/#!home/ipmp6

Screen Shot 03-27-16 at 08.29 PM

Caso você goste do conteúdo e queira saber como ter acesso ao conteúdo completo acesse:

http://www.dremersonbatista.com

CONHEÇA MEU PERFIL NO GOOGLE PLUS

https://plus.google.com/u/0/107467915066257179224/posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s