Laqueadura tubária: o método anticoncepcional cirúrgico definitivo

Contracepção definitiva cirúrgica realizada em mulheres que não desejam ter mais gestações. Possui taxa de falha menor que 0,5%. Responde a legislação própria pelo caráter praticamente irreversível.

laqueadura-tubaria

Como a laqueadura tubária é realizada?

Cirurgia abdominal com corte, cauterização e/ou sutura das tubas uterinas. Impede a progressão do óvulo e seu encontro com o espermatozoide. É considerada praticamente irreversível devido à dificuldade técnica e a grande chance de insucesso das tentativas de reversão.

Quais mulheres podem realizar a laqueadura tubária?

As mulheres que desejam se submeter a laqueadura tubária devem obedecer aos seguintes critérios:

  • 02 filhos vivos;
  • 25 anos ou mais;
  • Manifestar seu desejo pelo menos 60 dias antes do procedimento.
  • Assinar um termo de consentimento confirmando saber de todos os detalhes e consequências do procedimento.
  • Assinatura do cônjuge é necessária em caso de união estável.

Orientação adequada em relação à irreversibilidade teórica do procedimento deve ser feita a todas as mulheres. Outros métodos contraceptivos devem ser oferecidos de forma a desencorajar o procedimento.

Após o parto deve respeitar um período mínimo de 42 dias. Considera-se a mulher instável emocionalmente durante o periparto e seu julgamento de valores se encontra prejudicado. Este fato é confirmado pelo maior índice de arrependimento em mulheres que decidiam por procedimentos definitivos neste período.

Pode ser realizada durante uma cesárea somente no caso de alto risco de vida em gestações subsequentes. Deve ser atestado por 02 médicos. Esta situação geralmente ocorre em caso de doenças maternas como cardiopatias e em cesáreas de repetição( mais de 2).

A laqueadura é um método com boa eficácia?

Sim, a eficácia é muito alta. Taxa de falha menor que 02 gestações em cada 100 mulheres que realizam o procedimento durante toda a vida. A chance de falha é maior nos primeiros 02 anos.

Quais os benefícios da laqueadura?

  • Não interfere na sexualidade feminina;
  • Não interfere na produção hormonal feminina;
  • Sem necessidade de cuidados adicionais após o procedimento.

Quais os riscos do procedimento?

É um ato cirúrgico com todas as complicações associadas, desde o ato anestésico até a própria cirurgia. Hemorragias, infecções de ferida operatória e presença de cicatriz.

laqueadura tubárea

Fontes:

Manual de orientação à anticoncepção. FEBRASGO. 2010.

Captura de Tela 2016-05-06 às 22.31.01

Liberei uma amostra do meu livro digital: “Tenho Síndrome dos Ovários Policísticos: E Agora?” Acesse o link abaixo e confira!
http://www.dremersonbatista.com/#!home/ipmp6

Screen Shot 03-27-16 at 08.29 PM

Caso você goste do conteúdo e queira saber como ter acesso ao conteúdo completo acesse:

http://www.dremersonbatista.com

CONHEÇA MEU PERFIL NO GOOGLE PLUS

https://plus.google.com/u/0/107467915066257179224/posts

Um comentário sobre “Laqueadura tubária: o método anticoncepcional cirúrgico definitivo

  1. Pingback: Arrependimento Após Laqueadura Tubária | Gravidez e Saúde da Mulher

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s