Qual a melhor época para o ultrassom na gravidez?

A ultrassonografia é um exame que causou uma verdadeira revolução na obstetrícia moderna. Fornece uma série de dados antes inacessíveis ao médico. Além disso, é um exame de fácil realização, não invasivo, sem desconforto para a paciente e com resultado imediato. 

Image

A ultrassonografia é um exame excelente para o acompanhamento da gestação e fornece informações importantíssimas sobre a saúde fetal. Por ser bastante acessível na atualidade, tem havido um certo exagero na sua realização, muitas vezes na época incorreta e reduzindo a qualidade das informações.

Quantas ultrassonografias a gestante deve fazer?

Depende. Até o momento, não há demonstração que a realização de ultrassonografias altere de forma significativa a morbimortalidade fetal e materna nas gestações sem fatores de risco para complicações. Nas gestações do pré-natal de alto risco as ultrassonografias que determinam a saúde fetal são importantíssimas.

Segundo o Ministério da Saúde do Brasil, a realização de ultrassonografias em pré-natais de baixo risco não é obrigatória, podendo ser realizadas quando disponíveis e sua ausência não reduz a qualidade do pré-natal.

No Brasil, ainda existe pouca padronização quanto ao momento correto de realizar. Sabe-se que para alguns exames devem ser respeitados épocas específicas. Segundo a Fundação de Medicina Fetal devem ser realizadas 2 ultrassonografias:

Entre 11 e 13 semanas – determinação da idade gestacional, número de fetos e translucência nucal. São informações importantíssimas para o acompanhamento da gestação.

É importante lembrar que a melhor ultrassonografia para avaliar a idade gestacional é aquela realizada entre 11 e 13 semanas.

Após 20 semanas – avaliação da morfologia fetal (ultrassonografia morfológica).

Veja também – Quando é possível determinar o sexo fetal?

E o que é Ultrassom Doppler?

É um modo de ultrassonografia usado para determinar velocidades de fluxo em vasos fetais, com a finalidade de determinar a existência de situações sofrimento fetal, com necessidade de medidas terapêuticas específicas, como até mesmo a antecipação do parto. O Ministério da Saúde indica que nas gestantes acompanhadas em pré-natal de alto risco deve ser realizada, pois causa redução da morbimortalidade fetal.

A ultrassonografia é um exame complementar de bastante auxílio no acompanhamento da gestação e deve ser realizado em situações bem definidas, de modo a não trazer gastos desnecessários à gestante e maiores preocupações por alterações irrelevantes.

ScreenShot036

Fontes:

FREITAS, F. et al. Rotinas em Obstetrícia. 6ª Edição. ed. Porto Alegre: Artmed, v. Único, 2011.

BRUNS, R. R. et al. Ultrassonografia Obstétrica no Brasil: um apelo à padronização. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, São Paulo, v. 34, n. 5, p. 191-195, Março 2012.

Captura de Tela 2016-05-06 às 22.31.01

Liberei uma amostra do meu livro digital: “Tenho Síndrome dos Ovários Policísticos: E Agora?” Acesse o link abaixo e confira!
http://www.dremersonbatista.com/#!home/ipmp6

Screen Shot 03-27-16 at 08.29 PM

Caso você goste do conteúdo e queira saber como ter acesso ao conteúdo completo acesse:

http://www.dremersonbatista.com

CONHEÇA MEU PERFIL NO GOOGLE PLUS

https://plus.google.com/u/0/107467915066257179224/posts

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s